Revolução da empatia

Já parou para pensar no poder que a empatia tem em nossas relações do cotidiano?

Durante muito tempo pensava-se que a empatia era uma capacidade exclusivamente humana, atualmente sabemos que diversas espécies são capazes de sentir empatia e coordenar impulsos levando em consideração o outro. Nossa capacidade de empatia está ligada à herança genética.

A empatia está relacionada com nossas indignações perante aos problemas mundiais e com o nosso esforço para resolve-los, porém existem fatores que podem nos impedir de usarmos intensamente a empatia, como por exemplo: o preconceito e a negação.

Com o preconceito enxergamos as situações de forma superficial e baseados em estereótipos, nos impedindo de enxergarmos verdadeiramente o outro.

E em relação a negação, se refere a nos tornarmos insensíveis perante a “chuva” de más notícias que recebemos.

Mas e em nosso cotidiano em que nos ajuda?

Está diretamente ligada a resoluções de questões do dia-a-dia, pois expandindo a capacidade de compreensão com o outro observamos aspectos que eram ignorados.

Conviver bem com a diversidade, nos torna mais empáticos e tolerantes e é o que nos faz transmitir de forma adequada a mensagem para uma plateia ou para um grupo diversificado de pessoas no trabalho.

Então devido esse ponto citado podemos considerar a importante contribuição que a empatia tem para a liderança, pois atualmente temos lideres que estão precisando se adaptar a modelos dinâmicos das organizações e estão tendo que deixar de ser somente altamente técnicos e autocráticos e tendo que adotar um papel de compreender as demandas individuais e atende-las de forma abrangente. Muitas vezes, temos que tratar de assuntos comuns a duas pessoas, mas com abordagens diferentes e cabe ao líder elucidar as situações de forma adequada para que a equipe permaneça alinhada, o que traz um maior rendimento e coesão.

Acredito que devemos considerar a empatia uma força que consegue promover mudanças em diversos meios, pois quando deixamos de ter preconceito ao lidar com as situações conseguimos levar a individualidade da outra pessoa em consideração e, também, ter um melhor aproveitamento das pessoas da equipe designando adequadamente as tarefas.

Empatia se tornou um diferencial de competência, fazendo com que os lideres se destaquem e aumente a conectividade nas relações.

Sugiro que você faça um esforço consciente de se colocar no lugar de outra pessoa, com o intuito de desenvolver a habilidade de ser empático e assim futuramente colher os frutos que essa habilidade trará ao seu cotidiano.

 

Rachel Villari

 

Referências:

O poder transformador da empatia nas relações humanas –  Alzira Azeredo

https://exame.abril.com.br/carreira/o-poder-transformador-da-empatia-nas-relacoes-humanas/

 

A Revolução da Empatia – Tati Fukamati

https://www.youtube.com/watch?v=M8sQwMZiBfM